Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada

A UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE teve sua origem na Fundação de Ensino Superior de Pernambuco - FESP, mantenedora, desde 1965, de um grupo de Unidades de Ensino Superior preexistentes no Estado. Extinta a FESP, em 1990 a Universidade de Pernambuco - UPE torna-se uma instituição de direito público, instituída pela Lei Estadual nº 10.518 em 29 de novembro de 1990 e reconhecida através da portaria de nº 964, de 12 de junho de 1991, do Ministério de Educação, estando vinculada a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco. A UPE possui uma estrutura multicampi, composta por unidades de ensino (região metropolitana de Recife, Camaragibe e cidades do interior pernambucano) e unidades de ensino e saúde em Recife.

O Instituto de Ciências Biológicas - ICB fundado em 30 de janeiro de 1976 promove o ensino básico de graduação na Área de Saúde, sendo a porta de entrada da Universidade de Pernambuco para os alunos que ingressam nos cursos de Medicina, Odontologia, Enfermagem e Educação Física. No ano de 2000 foi implantado o Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas que formas profissionais nas ênfases: Biologia Parasitária, Biotecnologia e Biologia Ambiental.

As atividades de pós-graduação e de produção científica são, hoje, de extrema importância no âmbito do ICB como também para o avanço e consolidação da UPE, como Universidade. O Instituto se consolidou ao longo de sua existência, como importante instituição de ensino superior, formadora de recursos humanos especializados, através do oferecimento de seus cursos de graduação e de pós-graduação Lato sensu. Em julho de 2007, a Capes recomendou o curso de Pós-graduação em Biologia Celular e Molecular Aplicada, conceito 3, conforme Portaria Ministerial no 2265, de 19 de dezembro de 1997. O curso tem como objetivo geral: Formar profissionais na área de Ciências Biológicas e afins visando a produção e divulgação do conhecimento científico relacionado ao estudo e aplicação de novas tecnologias, que permitam caracterizar novos conhecimentos em pesquisa básica e o seu uso em diferentes abordagens, como por exemplo, em estudos evolutivos e aplicações biotecnológicas. As atividades de ensino e pesquisa do curso foram iniciadas em março de 2008, com dez docentes permanentes e dez discentes selecionados no processo seletivo realizado em fevereiro de 2008. Foram selecionados através de processo seletivo 12, 14, 11 e 17 respectivamente, em nas seleções realizadas em 2008, 2009, 2010 e 2011. As primeiras dez defesas de dissertações aconteceram na última semana de fevereiro de 2010, e correspondem aos trabalhos realizados pelos discentes da primeira turma do mestrado. Alguns egressos do curso encontram-se hoje cursando doutorado, prestando serviços em laboratórios, lecionando em Universidades, como proposto no perfil do egresso.

Vale ressaltar que o programa de Mestrado em Biologia Celular e Molecular Aplicada apoia grupos de pesquisa que estão localizados em regiões distantes dos centros urbanos acadêmicos, no âmbito da UPE, através de sua participação no Programa Dinter Novas Fronteiras UNICAMP/IB-UPE/ICB que tem como principal objetivo formar professores para que possam abrir novas linhas de pesquisa e fortalecer as linhas já existentes na Universidade. O mérito de tal proposta foi aprovado em 2009. Além disso, a CAPES aprovou um valor de R$ 515.031,92 para o financiamento deste Dinter. Como alunos deste programa temos 10 professores dos quais nove são da UPE (Campos Petrolina e Campus Recife) e uma professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco/Garanhuns, Universidade coparticipante. Seis professores do mestrado são co-orientadores das teses desenvolvidas no Dinter.

 

PERFIL DO EGRESSO

O Programa de Mestrado em Biologia Celular e Molecular Aplicada tem focado a formação de recursos humanos para atuação como pesquisadores/cientistas em instituições de ensino e tecnológicas públicas ou privadas destacando como principais competências e aptidões:

  • Domínio do estado da arte de sua temática e compreensão do mesmo, poder de argumentação e sustentação de suas ideias entre seus pares e em outros campos de conhecimento visando à construção de parcerias ou redes de produção de conhecimento científico;
  • Conhecimentos aprofundados no campo da biologia celular e molecular que possibilitem atuação de excelência no desenvolvimento de projetos e em atuações profissionais que requeiram domínio nestas áreas, bem como de suas aplicações biotecnológicas;
  • Exercício do processo educativo colaborando na formação de novos profissionais e pesquisadores com visão crítico-reflexiva através da orientação de discentes de graduação no desenvolvimento de projetos de pesquisa;
  • Competência em conhecimentos sobre métodos moleculares tais como manuseio de tecidos, células, ácidos nucleicos, análise de genomas, identificação de genes etc;
  • Conhecimento de tecnologias que permitam imobilização de materiais biológicos, visando inovação tecnológica na criação de equipamentos aplicáveis em áreas de saúde e meio ambiente.

 

Go to top Menu